quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Sonho Estranho

Hoje tive um sonho

Tive um sonho estranho

 

Sonhei que o chão era lama

E os pássaros que ali voavam

Batiam suas barbatanas

 

Sonhei que a Bela Desperta

Espiava seu príncipe em alerta

Beijava-o ao adormecer

Mas o esquecia ao amanhecer

 

Hoje tive um sonho

Tive um sonho estranho

 

Sonhei que se a mosca pousava na sopa

Entre sorrisos o povo a comia

E quando o padre chamava a moça

De biquíni ela lhe aparecia

 

Galhos brotavam nas nuvens

Meus pés não tocavam o chão

Mas ainda sim, com todas estas loucuras

Você tocava o meu coração

 

Hoje tive um tive um sonho

Tive um sonho estranho

 

Depois disso acordei

Tomei um susto, me levantei

Ao meu lado você já não estava

Tive medo, eu pensei...

 

Sonho Estranho

Estranho Sonho.


Juliana Faria.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Quando Acontece

Embora eu estivesse ao seu lado, não conseguia olhá-lo nos olhos. O chão estava repleto de serragem, que o vento levava aos poucos. Abri a boca e fechei novamente. Tomei coragem, mas retrocedi.
Não dava mais para segurar, era difícil respirar. Minha confusão interna passava por cima de todo o silêncio que nos rodeava. Não havia jeito, eu teria que falar.
Quase pulei de susto quando ele transferiu seu peso de uma perna para a outra, por pouco achei que ele iria dizer alguma coisa. Besteira, ele não diria.
Uma abelha que passava por nós até parou para contemplar o espetáculo, de tão sedutor que lhe parecia. E eu ali, aparentando estar adormecida, como se sofresse de abulia, mas vibrando na mais alta frequência.
Surpreendi a mim mesma quando levantei o rosto e olhei em seus olhos: eles estavam lá, olhando em direção aos meus, castanhos e profundos.
Era a hora, agora.